Como proteger os pets dos fogos de final de ano

Como proteger os pets dos fogos de final de anoAs festas de fim de ano costumam ser bem comemoradas e podem ser divertidas para muita gente, mas não para cachorros e gatos!
Os fogos de artifício, tão comuns nessa época, perturbam não somente bebês e idosos, mas sobretudo animais domésticos.
Como os pets têm audição muito mais sensível que a dos humanos, eles sofrem com o barulho dos fogos de artifício. “E também são capazes de mover as orelhas em direção ao som e captá-lo com mais intensidade e precisão”, diz a professora Fernanda Hatano, veterinária e coordenadora do projeto Entrelaço, da Universidade Federal Rural da Amazônia.
Na verdade, os cães chegam a ouvir o estouro dos fogos até quatro vezes mais do que os humanos, enquanto os gatos, em média, seis vezes mais

– o que explica o susto e o estresse durante as festividades de fim de ano.
No entanto, os gatos geralmente reagem aos fogos procurando um abrigo seguro, enquanto os cães se mostram mais desconfortáveis e procuram seus donos.
Talvez o fato de que os cães, no processo de domesticação, foram selecionados para dar alarme em caso de perigo e, portanto, reagem a um barulho ameaçador naturalmente, explique a reação dos pets.

Como proteger os pets dos fogos de final de anoMedo de barulho
Os ouvidos super sensíveis de cães e gatos tornam o ruído dos estouros pirotécnicos mais assustador, podendo causar estresse, nervosismo e medo.
Se seu dog treme, chora e late assim que os primeiros fogos de artifício começam a estourar, tome algumas atitudes para evitar que a noite de Réveillon se torne um pesadelo para seu pet.
Os animais tendem a sofrer com o medo, gerando picos de estresse durante exposição ao barulho. Alguns bichinhos têm tanto medo que podem ficar desorientados, agressivos e com respiração ofegante.
Em casos mais raros, o pet pode até mesmo sofrer com náuseas e convulsões. Em casos mais graves, o animal – principalmente cães de idade mais avançada – pode sofrer ataque cardíaco.
Segundo o Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo, no período das festas os casos de animais estressados e feridos por estilhaços de fogos aumentam em 20%. Nesse período, eles também costumam apresentar complicações gastrointestinais.
A coisa é tão grave que muitas associações de animais se uniram para fazer pressão ao fim dos fogos ensurdecedores. Em São Paulo, venceram a batalha. Desde 2018, a queima de fogos na virada do ano é “silenciosa” na Av. Paulista – o que agradou também idosos e pacientes dos hospitais da região.

O estresse de sair da rotina
A fase de festas já é estressante para os pets porque os coloca em situações que fogem à rotina: reuniões familiares, visitas de amigos, movimento na casa e, em consequência, menos atenção aos bichinhos.
Por isso, é fundamental tentar manter a rotina de passeios, alimentação, brincadeiras e cuidados com o pet.
E, claro, planejar e ajeitar a casa para que os animais de estimação enfrentem os fogos de artifício do Réveillon com o menor estresse possível.

Como proteger os pets dos fogos de final de anoComo proteger seu pet dos fogos se você vai ficar em casa com ele
– Os cães são animais sociais e seria melhor não deixá-los sozinhos, pois ficam ansiosos.
– É importante que eles percebam que a família está em segurança e não em uma situação ameaçadora.
– Feche os vidros da casa para abafar o barulho.
– O ideal é que o animal fique em um local protegido e confortável. Caso você esteja viajando com o pet é preciso disponibilizar um cantinho para que ele se proteja e se sinta bem.
– Não deixe o animal com acesso à rua, pois com o susto ele pode tentar fugir.
– No caso dos gatos, é importante se certificar de que as janelas estejam fechadas, principalmente se você mora em apartamento e não há telas nas janelas.
– Não tente segurar seu gato ou cachorro. Isso pode deixá-lo ainda mais ansioso e causar agressividade.
– Deixe o pet se esconder em um lugar da casa onde se sinta seguro. Alguns cães já se tranquilizam apenas pelo fato de estarem escondidos.
– Não o deixe no escuro.
– Ligue o rádio ou a televisão: sons com os quais ele esteja acostumado.
– Para tranquilizá-lo, trate-o com voz firme e segura, afim de que compreenda que os ruídos, embora ensurdecedores, não representam perigo.
– Não o pegue no colo, pois isso demonstra que ele está em situação de perigo.
– Não alimente seu pet durante a queima de fogos, para que ele não vomite ou tenha complicações gástricas de nervoso.
– Ofereça petiscos ou brinquedos que ele adora.
– Se o pet fica muito nervoso, invista em um tampão de ouvido específico para ele. Há vários modelos nas pet shops.
– Alguns calmantes florais podem ser úteis para acalmar seu animal de estimação. Aliviam o estresse e os mantêm mais calmos. Esse tratamento deve ser contínuo e acompanhado de veterinário.

Como proteger os pets dos fogos de final de anoComo proteger seu pet dos fogos se você sair de casa
– Se o proprietário for sair e precisar deixar o animal sozinho, é importante que ele fique dentro da casa, em um ambiente conhecido, com o cheiro do dono, alguns brinquedos e objetos que goste.
– Faça uma boa análise dos riscos de ferimentos e fuga. Retire objetos que possam ser derrubados no ambiente em que ele ficará, principalmente objetos cortantes e de vidro.
– Verifique se a decoração de Natal na sua casa não o coloca em risco. Luzes, aparelhos eletrônicos e pisca-pisca (que causam choques) chamam a atenção dos pets e envolvem energia elétrica, baterias e outros materiais perigosos. – Portanto, evite deixar esses objetos ao alcance dos animais de estimação.
– Verifique se seu cão pode, acidentalmente, se bater em móveis quando estiver debaixo deles em busca de abrigo.
– Não o deixe no escuro.
– Não o deixe em ambientes que ele possa derrubar objetos sobre si mesmo, como armários e escadas.
– A água deve ficar sempre disponível, mas a alimentação deve ser retirada horas antes da queima de fogos, para evitar vômitos.
– Não deixe o animal preso em coleiras, pois dependendo de sua reação aos fogos, ele pode se machucar ou até mesmo se enforcar.
– Camufle o barulho dos fogos, ligando a TV ou o rádio, e deixando as luzes acesas.
– Cães com histórico de problemas cardíacos ou neurológicos devem ser levados ao veterinário com antecedência para verificar a possibilidade de serem medicados.

Técnica Tellington Touch
Muito difundida, a técnica do pano, desenvolvida pela canadense Linda Tellington-Jones, consiste em amarrar um tecido sobre o peito e o dorso do animal, formando um oito, e envolvendo-o como um abraço.
A leve pressão exercida pelo pano ativa o sistema nervoso autônomo, fazendo o pet sentir-se mais seguro.
Mas é necessário executar a amarração com cautela, sempre com um pano macio e maleável, que o animal consiga se movimentar. E não deixar nenhuma ponta do pano pendurada para que não tenha a possibilidade de alguém ou o próprio animal pisar ou se prender em algo.
Muitos animais se sentem, de fato, confortáveis, mas alguns podem se sentir paralisados, por isso faça um teste antes do Réveillon.
Há também camisetas e coletes antiestresse, criados a partir do Tellington touch, disponíveis nas pet shops.

Escolha um lugar “silencioso” para viajar com o pet
Quer viajar com seu pet no Réveillon e curtir um show pirotécnico sem barulho?
Para amenizar o desespero dos bichinhos, algumas cidades brasileiras proibiram a queima de fogos barulhenta, promovendo um show pirotécnico de cores e luzes, sem estampido.
– São Paulo
– Campos do Jordão
– Poços de Caldas
– Florianópolis
– Ilhabela
– São Sebastião
– Ubatuba
– Alfenas
– Ponta Grossa
– Natal

Fogos silenciosos
Fogos sem barulho não existem. O que existem são fogos com menos barulho, cujo estampido é 60% inferior aos fogos de tiros.

Completo centro veterinário, a Central Pet é equipada para atender tratamentos de higiene, consultas de clínica geral e especialistas, e pode avaliar seu pet para verificar a necessidade de receitar medicamentos.

Depoimentos


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Scroll to top
Chame no Whatsapp
Bitnami